Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Problemas de falta de água gerou reunião interna na Câmara

Publicado em 28/06/2019 às 13:45 - Atualizado em 28/06/2019 às 13:45

Reunião ocorreu na tarde desta segunda-feira Baixar Imagem

O secretário de Saneamento Ambiental de Campo Alegre, Peterson Kohler, participou de uma reunião com os vereadores, segunda-feira, para explicar sobre os problemas no fornecimento de água tratada na cidade. O convite partiu do vereador Francisco Kuhnen (MDB) devido às reclamações da população.
Peterson explicou que no caso da Vila Scheide, foi muito difícil encontrar o motivo que vinha ocasionando falta de água na localidade. “Trocamos duas bombas por equipamentos mais potentes e mesmo assim a água chegava com vazão mínima. Trabalhamos em um fim de semana durante a noite e o dia para tentar resolver a situação e mesmo assim não achávamos o problema”, contou.
Conforme o secretário, como o problema na rede não era encontrado, os técnicos da Águas de Campo Alegre resolveram fazer a descarga inversa do sistema. Só assim foi possível identificar o que causava a interrupção no fornecimento. “Eram pedras e mais pedras que estavam dentro da tubulação. Isso ocorre porque algumas vezes em obras, máquinas acabam rompendo o encanamento e muito material acaba entrando na rede”, explicou.
O chefe de Gabinete da Prefeitura, Jefferson Cunha, que também esteve no encontro, disse que agora a situação de abastecimentos em Campo Alegre é para se normalizar. “Nas últimas semanas tivemos dias bem atípicos com o rompimento de alguns sistemas, como o encanamento principal, mas tudo já foi resolvido”, disse.
Quanto ao sistema que abastece a Vila Scheide, Peterson ainda explicou que todas as válvulas e conexões foram trocadas. “Assim, cremos que agora todos os problemas com falta da água na Vila Scheide foram resolvidos”, destacou.

Investimentos
Peterson e Jefferson explicaram ainda que a Prefeitura vem investindo constantemente na ampliação e modernização dos sistemas de rede de água tratada. “Todas as bombas de sistema foram padronizadas. Em Serrinha estamos elaborando um estudo para fazer uma ampliação de 5 km do sistema, mas tudo depende da capacidade de vazão de um poço que está em análise. Esse é um sistema que custará cerca de R$ 40 mil, fora o serviço braçal e de maquinário”, adiantou.
Outra comunidade aonde uma ampliação de 2 km vem sendo analisada é Queimados. “Estamos vendo como vamos fazer. É a mesma situação de Serrinha. Desde que assumimos a gestão já realizamos mais de 18 km de extensão na rede de água e temos para os próximos meses mais 8 km de extensão para concluir. Sabemos dos problemas de falta de água e sabemos que algumas comunidades ainda não contam com sistemas, mas vamos avançando na medida do possível”, destacou Peterson.

Caixa d’água
Outro problema relatado pelo secretário é que muitas casas, principalmente no distrito de Fragosos, foram construídas sem caixas d´águas ou cisternas. "Até por conta disso, nas novas ligações estamos orientando os munícipes que comprem este item que custa menos de 1% de toda a obra. Isso é importante porque em caso de rompimentos do sistema os moradores ainda podem contar com uma reserva de água", finalizou.


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar