Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Câmara presta homenagem a Churrascaria Egon pelos seus 50 anos

Publicado em 20/11/2018 às 15:03 - Atualizado em 20/11/2018 às 15:03

Entrega da Moção de Aplausos movimentou sessão desta semana Baixar Imagem

A Câmara de Vereadores realizou durante a sessão desta semana, na última segunda-feira, dia 19, a entrega de uma Moção de Aplausos, sugerida pelos vereadores Nilson Fuckner (PP), Raul Johanson (Dem), Tancredo Ronska (PP), Osni Cordeiro (Dem), Fernando Wotroba (PP) e pelo presidente do Poder Legislativo, Josnei Cchaloupeck (Dem), pela passagem do aniversário de 50 anos da Churrascaria Egon.

Instalado próximo ao trevo principal de acesso ao Centro de Campo Alegre, a Churrascaria Egon iniciou suas atividades no ano de 1.968, capitaneada por Egon Larsen (In Memoriam) . A ideia do restaurante teve origem quando viajantes consertavam seus veículos e caminhões na oficina de Egon. Sua esposa Anneliese Egon (In Memoriam) era responsável por servir os almoços aos clientes e, desta forma, surgiu a iniciativa de se abrir um restaurante na cidade.

Naquela época, a rodovia SC-418 sequer existia, havia apenas uma trilha. A estrutura começou muito pequena, eram apenas algumas mesas e cadeiras instaladas em um piso de chão batido. Hoje a estrutura recebe visitantes de todas as partes do Brasil e do mundo, que visitam Campo Alegre a as cidades da região, com sua gastronomia típica de carne de ovelha.

O falecimento de Egon e Anneliese Larsen, fez com que os filhos Ernesto, Marcelo, Hermes e Simone, assumissem o empreendimento. A próxima geração de proprietários já está sendo preparada para se manter viva a tradição que a Churrascaria Egon dispõe em Campo Alegre, sendo uma das empresas mais antigas da cidade. Além disso, o empreendimento também ajudou em muito a propagar a gastronomia baseada na carne ovina, vez que foi percussora em servir essa deliciosa iguaria na cidade e região.

 

Não é fácil

Durante a Palavra Livre, Ernesto Egon, um dos sócios do empreendimento, fez o uso da palavra para agradecer a homenagem prestada pelo Poder Legislativo. “Não é fácil manter uma empresa por 50 anos, ainda mais no Brasil e no ramo da alimentação. Em uma fábrica, por exemplo, você regula a máquina e vai saindo peça por peça. No ramo de alimentação é todo dia, o tempero, os bom dia, os sorrisos, você tem que estar bom e tempo todo”, salientou.

Em um discurso emocionado, Ernesto disse que não é fácil manter uma empresa por 50 anos, diante da perda do pai e da mãe, que simbolizam para a família Egon, o amor e o tempero das iguarias servidas até os dias de hoje. “Não é fácil permanecer 50 anos trabalhando todo dia, todo domingo, feriado, natal e ano novo. A churrascaria está atendendo desde a festa do pinhão. Foram muitos aniversários, casamentos, muitos momentos em família”, relembrou.

 

Cavando poços

Ernesto disse antes de finalizar seu discurso, que o segredo para se manter firme diante das dificuldades e das perdas, e aprender a cavar poços no deserto. “A Bíblia fala sobre Abraão, Isaque e Jacó. Abraão ensinou seu filho Isaque a cavar poços, e Isaque ensinou seu filho Jacó a cavar poços, porque no deserto, se você não cavar poços você morre de sede”, comentou.

Neste contexto, de encontrar água no deserto, Ernesto comentou que a vida é feita de ciclos. “Temos momentos difíceis, como a perda de um pai, de uma mãe, entre outros. São momentos que nossas vidas, ou nossas empresas, estão no deserto. Mas nossos pais nos ensinaram a cavar poços. Cavar poços significa buscar a Deus, e foi buscando a Deus que conseguimos criar forças e permanecermos entre irmãos, respeitando um ao outro, até hoje. Foi buscando a Deus que tivemos criatividade para sempre continuar renovando”, elencou.

 

Fome

No fim de seu discurso, Ernesto mencionou com emoção que outro ensinamento de seu pai vem sendo mantido pela família Egon. “Durantes esses 50 anos, demos muita comida e até hoje damos, para pessoas de nossa cidade, viúvos, idosos, enfermos e andarilhos que passam por Campo Alegre. Meu pai sempre dizia:  empre de comida, arroz, feijão um pedaço de carne, porque ninguém nessa vida merece passar fome”, disse, lembrando dos primeiros clientes do empreendimento, Dr. Mario Kormann e Sylvio Bento Munhoz. “Se sua vida ou empresa está passando por um deserto, cave um poço e busque em Deus a criatividade e direção que você precisa”, finalizou sob aplausos.

 

 

 

 


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar